10
nov

A importância do filtro de ar para o compressor

Sua principal função é filtrar impurezas presentes na atmosfera como pólen, fuligem e partículas de sujeiras, que poderiam eventualmente ou a longo prazo causar danos a unidade compressores e demais componentes do compressor. É, portanto, a primeira barreira contra impurezas do ambiente.

O filtro de ar influencia diretamente no desempenho e durabilidade do compressor. Um filtro obstruído evita a entrada do ar na unidade compressora e diminui a eficiência do compressor. Um filtro que esteja danificado ou de má qualidade deixa entrar partículas que diminuem a vida útil dos componentes do compressor.

Os compressores de menor porte, geralmente, utilizam um filtro de ar simples, de apenas um estágio. Em compressores de maior porte é comum, atualmente, a utilização de um filtro para serviço pesado “heavy duty” (Fig. 1). O filtro para serviço possui 3 estágios de separação de impurezas, ciclone, filtro primário e filtro secundário ou também conhecido como filtro de segurança.

Filtro de ar tipo serviço pesado

Fig. 1 – Filtro de ar para serviço pesado

O elemento do filtro de ar é um componente relativamente barato, mas pode ser o responsável por danos de alto custo ao motor pela negligência de sua substituição dentro das especificações indicadas pelo fabricante.

Algumas dicas:

  • O tempo de intervalo de troca, indicado pelo fabricante, prevê que o compressor esteja instalado em um ambiente limpo. Nos demais casos é recomendável que seja feita uma inspeção diária/semanal no filtro para se determinar o tempo de intervalo de troca.
  • Em um ambiente muito sujo, recomenda-se a instalação de um filtro de serviço pesado e/ou instalação de dutos para aspiração de ar mais limpo.
  • Não é recomendável “limpar” o filtro de ar.
10
nov

Mais que dobre suas economias com a redução de pressão do Sistema de Ar Comprimido

Há uma regra usada frequentemente sobre a redução de pressão de descarga de compressor de ar, para cada 2 psi de redução, reduz-se 1 porcento na potência consumida do compressor de ar. Portanto, uma boa medida para se economizar energia é reduzir a pressão de descarga na rede de ar.

Mas há um efeito secundário, raramente discutido, na redução da pressão que pode aumentar a economia de energia. Devido à redução de pressão, os pontos de uso que não tenham reguladores de pressão irão consumir menos ar.  Vazamentos na rede irão consumir menos ar também. Quanto? Há uma redução, aproximada, de 1 porcento no consumo de ar para cada 1 psi de redução na pressão.

Por exemplo, um compressor de 100 cv com variador de frequência rodando 24 horas por dia, 365 dias por ano, a 110 psig consume cerca de 88 kW em plena carga. Reduzaindo a pressão de descarga em 10 psi reduziria o consumo de energia em cerca de 4,4 kW, o que resulta em uma economia de R$ 13.490,00 por ano, considerando-se uma tarifa média de R$ 0,35 por kWh. Fora essa economia, se os pontos de consumo na planta não possuem reguladores de pressão, a redução de pressão irá reduzir o consumo de ar comprimido em cerca de 9%. Sendo um compressor com variador de frequência, este equipamento irá trabalhar com uma rotação menor, consumindo aproxidamente 76 kW, o que resulta em uma economia adicional de 7,6 kW ou R$ 23.301,60 por ano. No total, a economia pode chegar até a R$ 36.791,60.

Mas ainda tem mais economia. Como o compressor de ar estará sujeito a uma carga menor, ele vai trabalhar com uma temperatura menor e, portanto, durar mais tempo. E o ar mais frio que produz irá beneficiar o seu secador de ar e fazê-lo funcionar melhor também! E você ainda ajuda o meio ambiente!. Todos os tipos de benefícios.

Quer saber mais sobre os benefícios de redução de pressão? Entre em contato conosco. Teremos o maior prazer em atendê-los.

10
nov

Instalação do sistema de ar comprimido

O local de instalação de um novo sistema de ar comprimido (compressor de ar, tratamento do ar, reservatórios, filtros, e outros componentes), pode ter um efeito significativo sobre o desempenho e custos de operação. Um local de instalação inadequado pode diminuir drasticamente a eficiência e aumentar o desgaste levando ao aumento dos custos operacionais.

Há quatro fatores importantes a considerar ao decidir onde instalar o sistema de ar comprimido:

  1. Ventilação

Um dos principais problemas que encontramos nas indústrias é o superaquecimento. Como os sistemas de ar comprimido geram grandes quantidades de calor que necessitam de ventilação eficaz.

Quando não há ventilação suficiente, o ar quente que sai do resfriador de ar/óleo, no caso dos compressores de parafuso, ou das aletas do cabeçote, no caso dos compressores de pistão, recircula e é aspirado pelo compressor, aumentando a temperatura de funcionamento da unidade.

A aspiração de ar quente pelo compressor diminui sua eficiência e diminui a vida útil dos componentes de todo o sistema de ar comprimido. Em compressores de parafuso o compressor irá para o funcionamento quando o óleo atingir entre 110°C e 120°C, dependendo do modelo e marca do compressor. Em compressores de pistão não há sensores para monitorar a temperatura do óleo, portanto, em casos de superaquecimento o compressor de pistão pode chegar a travar.

É aconselhável para canalizar o ar de escape de um sistema de ar comprimido, quer para uma área exterior ou de um sistema de recuperação de calor, o que pode gerar significativas reduções de custo em uma empresa. Independentemente de como você decidir canalizar o calor escape, pode ajudar a prolongar a vida útil do seu sistema de ar comprimido.

Em alguns casos é necessário captar ar externo e direcioná-lo para a sala com o sistema de ar comprimido. Nestes casos a assistência técnica do fabricante do seu compressor poderá ajuda-lo a dimensionar a vazão de ar necessário para se sistema.

No caso do óleo lubrificante, o superaquecimento diminui sua vida útil, aumenta o arraste e provoca formação de borra/verniz na parte interna do compressor.

 

  1. Acesso à manutenção

É importante que o local de instalação permita o acesso para a manutenção adequada. Técnicos de serviço precisam de espaço suficiente para acessar corretamente o compressor para realizar a manutenção e, mais importante, para todos os reparos futuros que requerem a remoção de componentes internos do compressor. Se não houver acesso adequado para a manutenção, os custos vão aumentar à medida que ele vai demorar mais tempo e recursos para concluir o serviço e reparação.

 

  1. Sala de compressores

Uma opção para a instalação, a fim de liberar espaço na planta, é a instalação do sistema de ar comprimido do lado de fora da produção. Se instalado no exterior, é fundamental que o sistema possua um projeto onde os equipamentos fiquem protegidos contra raios U.V. e chuva, em caso de empresas que funcionam no período noturno, é recomendável a instalação de luzes de emergência. Recomendamos a isolação deste espaço, com paredes ou grades, para que apenas os responsáveis pela manutenção possam adentrar. Recomendamos também a instalação de portas de acesso amplas, com acesso fácil para empilhadeiras e demais equipamentos/máquinas de transporte.

Outra opção é a instalação dentro da fábrica. Nestes casos deve-se estar atento ao nível do ruído do compressor, ambiente (veja o próximo item) e as normas técnicas (NR-13) para a instalação do reservatório.

 

  1. Ambiente

Um erro comum, nas instalações, é não verificar o ar ambiente onde o compressor trabalha ou irá trabalhar. Você pode se guiar pelas perguntas abaixo sobre o ambiente de instalação do compressor.

 

  • O compressor está perto de um processo químico?
  • Os gases na atmosfera podem causar danos aos componentes internos do compressor (rolamentos, anéis, óleo, etc.)?
  • O compressor está em um ambiente onde existem partículas de pó abrasivo?

Os ambientes normalmente são classificados em três categorias: nocivos, agressivos e limpos. Abaixo está uma breve descrição e os problemas potenciais.

– Limpo: um ambiente limpo é definido como tendo baixo índice de poeira e partículas. Este tipo de ambiente não exige muito mais além do que seria considerado de manutenção padrão.

– Agressivo: ambientes com maior acúmulo de poeira, partículas, podendo conter pó abrasivo, areia de fundição, e outras partículas abrasivas em suspensão no ar. Recomenda-se evitar estes ambientes, e somente os utilizar em último caso. Os riscos criados por essas condições podem ser reduzidos pelo uso de um filtro de serviço pesado. Os equipamentos devem ser limpos com maior frequência e cuidados adicionais, como maior frequência no monitoramento dos indicadores de funcionamento, devem ser tomados.

– Nocivo: um ambiente nocivo é definido como tendo os gases / produtos químicos cáusticos, cloro, amônia, ácidos, no ar. Nestes casos recomenda-se a remoção do sistema de ar comprimido ou do dos materiais perigosos.

A melhor maneira de garantir que você está instalando o sistema de ar comprimido em um local apropriado é consultar um especialista em ar comprimido, para garantir o funcionamento com a máxima eficiência e confiabilidade.

Para mais informações ou conselhos sobre a seleção de um local adequado para o seu sistema de ar comprimido, entre em contato com a Air Pro.